Mulheres Importantes na Computação

Ada Lovelace

Condessa de Lovelace (1815 a 1852), conhecida como Ada Lovelace foi a primeira matemática que criou o primeiro algoritmo para ser processado por uma máquina, sendo a primeira programadora da história!

A relevância da criação de Lovelace é tamanha que há diversos anos o dia 15 de outubro é comemorado (em todo o mundo) como Ada Lovelace Day, assim espalhando mundo afora as conquistas de mulheres na ciência, inspirando outras a seguirem carreira nessa área.

Ada desenvolveu uma visão sobre a capacidade dos computadores conseguirem realizar muito mais além de meros cálculos, em uma época em que todos os matemáticos estavam focados nesse tipo de ação.

Para mais informações acesse nosso instagram: Ada Lovelace

Maria Gaetana Agnesi

Maria Gaetana Agnesi, (1718 a 1799), foi a primeira mulher da história do Ocidente a ser chamada de matemática. Aos nove anos de idade, publicou um discurso em latim que defendia um ensino de alta qualidade para as mulheres.

Agnesi é reconhecida como tendo escrito o primeiro livro que tratou, simultaneamente, do cálculo diferencial e integral. Durante uma década, Agnesi escreveu uma obra de dois volumes; o primeiro deles, com mais de mil páginas tratava de aritmética, álgebra, trigonometria, geometria analítica e cálculo. O segundo abrangia equações diferenciais. Foi a primeira obra que uniu as ideias de Isaac Newton e de Gottfried Leibniz.


Para mais informações acesse nosso instagram: Maria Gaetana Agnesi

Annie Easley

Annie Easley (1933 a 2011), mulher, negra, filha de mãe solteira, cientista e matemática. Sua mãe a dizia que trabalhando duro ela poderia se tornar o que quisesse, mas Annie acreditava que as únicas carreiras abertas para mulheres negras eram o ensino e a enfermagem. Em 1954, Annie começou a trabalhar na NACA(atual NASA) como “computador”. Em seu departamento de cerca de 2500 funcionários, ela era 1 dos 4 afro americanos. Por ser mulher e preta sofreu com a segregação inclusive em seu ambiente de trabalho. Começou sua carreira brilhante como matemática e cientista da computação, participou do desenvolvimento dos códigos para análise de tecnologias alternativa de energia, com o sistema de foguetes de propulsão nuclear incluindo o centauro, com pesquisas importantes sobre fontes alternativas de energia e muitos outros em seus 34 anos de carreira.


Para mais informações acesse nosso instagram: Annie Easley

Lynn Conway

Cientista da computação, engenheira elétrica, inventora e ativista transexual. Fascinada e envolvida com astronomia, matemática e ciências, era uma criança tímida, principalmente por não se identificar com o sexo que lhe foi atribuído ao nascer. Graduada pelo MIT e com uma carreira incrível! Nos anos 60 trabalhou para a IBM e lhe é creditada a invenção da instrução de manuseio dinâmico generalizado, mas foi despedida da empresa após revelar a intenção de transição e perdeu o direito a visita dos filhos que havia tido. Após a demissão, conseguiu realizar sua transição de gênero e recomeçou sua carreira trabalhando como programadora, entrou para a empresa Xerox fazendo parte do desenvolvimento do VLSI, trabalhou para DARPA e se tornou professora da universidade de Michigan, sendo eleita para a Academia Nacional de Engenharia dos Estados Unidos por suas descobertas sobre o funcionamento do VLSI. Já aposentada, com receio que sua transgeneridade fosse revelada por alguém da IBM, decidiu revela-la ela própria, e se torna uma importante ativista dos direitos das pessoas trans, além de ser a criadora de um dos sites mais importantes sobre o assunto.

Para mais informações acesse nosso instagram: Lynn Conway



Hedy Lamarr

Hedwig Eva Maria Kiesler (1914 - 2000), nasceu na cidade de Viena, Áustria, e iniciou sua carreira como atriz ainda na adolescência, atuando em diversos filmes alemães. Em 1933, Hedy estreou o filme Êxtase, e se casou. Por sofrer abusos do marido, Lamarr resolve fugir em 1937, quando adotou o nome artístico: Hedy Lamarr. Nos EUA, passou a atuar em Hollywood. E junto de seu amigo George Antheil, criou um aparelho de interferência em rádio para despistar radares nazistas. A criação foi patenteada em 1942, sendo chamado de “frequence hopping”, porém o departamento de guerra norte-americano achou a idéia muito complexa e ela foi realmente usada em 1962 em Cuba. A criação só foi creditada à atriz em 1997 quando a Electronic Frontier Foundation premiou Hedy Lamarr por sua contribuição. Essa ideia serviu como base para algumas tecnologias de comunicação modernas como o sistema wi-fi que tanto utilizamos e outros. Com Hedy um enorme paradigma é desfeito: mulheres podem e são sim bonitas e inteligente, Lamarr nos prova isso. Além de contribuir com sua arte para o cinema fez parte de uma grande revolução tecnológica.

Para mais informações acesse nosso instagram: Hedy Lamarr